Reticências


Escuta, então, o que não digo,
E saberás...
Guia os teus olhos ao lugar onde descansam os meus,
E assim verás...
Do que gosto? Não te disse?
De certo não direi!
Mas, se te atentares ao que me faz sorrir
d i s t r a i d a m e n t e
Saberás que, 
nas reticências que me explico...

Leia também:

2 Comentários

  1. A Voz do Silêncio. Creio que há alguns anos escrevi uma poesia com este título. Ademais, é através dessa voz silenciosa que exprimimos tanto de nós para quem realmente nos souber interpretar, e como é bom quando se é surpreendido quando alguém sabe nos ler!

    Que escrito belo, Bárbara! Continue escrevendo por aqui. Decerto voltarei.

    Abraços!

    https://jmirtiany.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica!

      Fico feliz com tua presença, tenho andado um pouco distante...

      A voz do silêncio é alta a quem quer ouvir. E essa surpresa é maravilhosa!

      Abraço carinhoso!

      Excluir

Fique a vontade para comentar!
Abraços...