Insistente


Não vê?!
Que a vida te chama insistente?
Que com olhos de promessas
te estende os braços,
e faz fluir essa esperança fácil
que deságua no teu futuro incerto.
Que tens a perder?
O que levas em tuas mãos?
Respondo-te:
Tens a esperança,
que a vida, sorrindo, te entrega! 
Não a deixe escapar por entre os dedos.
Vai, e vive.
Faça das promessas, teus caminhos.

Leia também:

12 Comentários

  1. Amém! Hahah. Precisamos ter esperança sempre, mesmo em meio a tempestades. Farei deste poeminha meu lema para o dia de hoje!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A esperança resiste às tempestades, não podemos nunca deixar de acreditar. Mesmo que nossos olhos não vejam mais solução, a esperança estará lá, sorrindo ternamente, esperando de braços abertos.

      Abraço carinhoso!

      Excluir
  2. Inspiração para cada passo na vida! Amor/ amar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A esperança é a inspiração que nos leva a caminhar, mesmo que não saibamos o que a vida nos reserva. Que nos faz acreditar sempre.
      Saudade de você Gui!

      Abraço carinhoso.

      Excluir
  3. Bárbara, querida!
    São suas lindas palavras que nos enchem de esperança!
    Um texto perfeito como sempre.

    Tenha um ótimo fim de semana!
    Beijão.
    Blog: *** Caos ***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi este poema como uma prece, como um conselho a mim mesma, como um sopro para avivar a minha esperança. Que lindo efeito colateral meu poema causou!! Fico tão feliz por ser assim, Helena.

      Abraço carinhoso

      Excluir
  4. Estou na sétima vez que o leio, e agora me atrevo a comentar. É lindo, lindo, lindo. É toda a poesia da vida, derramada em versos perfeitos, numa mensagem contundente. Cada vez que aqui chego, não resisto a visitar-te, a ler-te, a aprender (sem nunca conseguir aplicar, de fato) como encaixar palavras harmoniosamente, delicadamente, num sentido único que antes não se tinha visto. Como seria pegar-te lendo isso, declamando isso, falando isso à brisa que passa em tua janela?! A vida! O chamamento! O fluir! O jorrar! A esperança! As promessas!... E essa pergunta latejante, palpitante, que descompassa o coração: que tens a perder?! que tens a perder?! Talvez, a única coisa que impeça o fluir da esperança, e propicie o escapar das promessas por entre os dedos, seja o medo! Definitivamente, ninguém deve ter medo de viver!!! Alguém um dia disse a Elisabeth Barret algo que começava com: "amo teus versos..." Talvez, ele tenha roubado 'por antecedência' as palavras que são minhas, e dado a ela 'por antecedência', as palavras que são tuas, que são para ti, Bárbara Paloma. Recebe-as...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi este poema olhando para um espelho que carrego dentro de mim, com olhos de preces, e vontade de me fazer acreditar e enxergar a esperança que tenho.
      O medo paralisa o pulsar dos sonhos, é o que nos leva a perder. Ninguém deve ter medo de viver! Sei que o medo é humano, é natural, mas a vida requer coragem, é ela que nos move e nos faz caminhar, ainda que com as pernas trêmulas.
      Minha admirada Elisabeth terá que nos perdoar então... Pois, recebo tuas palavras e te respondo: amo quando comentas meus versos.

      Um abraço carinhoso!

      Excluir
  5. Segura firme na mão da dona Esperança para ela não escapar.
    Boa noite querida Bárbara Paloma.Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor companheira de viagem!
      Bom dia querida Emilia.
      Abraço carinhoso.

      Excluir
  6. Olá Barbara, lindo poema com muita inspiração e esperança a mola para o sucesso! Amei! Amiga, tenha uma noite de paz e um amanhecer feliz. Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elza! Muito obrigada querida!
      A esperança tem sido uma fiel amiga em minha caminhada.
      Tenha uma semana abençoada.

      Abraço carinhoso

      Excluir

Fique a vontade para comentar!
Abraços...