Visita


Saudade (s.f.)
Visita que só vai embora quando o dono da casa chega.


Leia também:

6 Comentários

  1. Aqui ela nunca apareceu essa bandida eu tenho uma espingarda e mando fogo nela, já não dá tempo de viver nem o presente direito, que dirá essa miseravi vindo me puxar para outro lado. Ahhh eu senti saudade sim, outro dia eu lembrei que emprestei minha moto para um primo e ele caiu com ela. Ele se machucou bem feito, tinha que ficar todo ralado, mas ralou minha moto toda. Miseravi. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você me arrancando risos com teus comentários! Bem, falo daquela saudade em que a razão tem nome e sobrenome, endereço, telefone... Um dia ainda vais encontrar com ela.
      Abraços.

      Excluir
  2. É...! A gente se ausenta e a danada entra.
    Bom pensamento.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, entra e muda toda a decoração... Até que dono apareça e coloque tudo no lugar.
      Abraços

      Excluir
  3. Desculpa-me, se eu disser que conheço a saudade e isso te parecer possessividade, exclusividade, melhor entendimento... Não é. E, se fosse, quem gostaria de ser o dono de tal sentimento?
    Saudade é o encaixe de um tempo dentro de outro tempo, o menor dentro do maior. Quando o menor é o tempo da saudade, então, ela é essa visita que traz um nome, um momento, um lugar, ou estas coisas no plural. Mas... Quando o tempo da saudade é maior e a realidade presente se encaixa dentro dela - acredite, isto é bem possível! - então a realidade presente é que é a visita. E é preciso muita coragem, força e sabedoria para perceber isto e para mudar os tamanhos e encaixes.
    Tu causas saudades, por seres quem és. Un abbraccio

    Luc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De forma alguma pensaria assim de ti. Quero sempre que compartilhes o que pensas.
      O belo dos significados é que, cada pessoa se baseia no que conhece, no que viu ou viveu. A saudade que conheço é peça pequena dentro de outra maior, é visita, eu não havia pensado na saudade que é casa, me ensinaste algo precioso. Tenho certeza que ela existe, e me doeu só imaginar senti-la. A minha me pareceu egoísta até, perto da saudade que vem de muito antes da 'realidade presente', essa que envolve o agora, que se faz dona da casa e não visita. Tenho certeza de que é preciso muita coragem, força e sabedoria, como disseste, para mudar.

      Saudades de ti Luc,
      Um terno abraço

      Excluir

Fique a vontade para comentar...
Críticas são bem vindas, e elogios sempre serão.
Abraços...