Música e poesia

Uma playlist chamada "poesia e aviões" tocando baixinho, enquanto os olhos viajam por poesias desconhecidas, palavras novas enchendo tudo de sentimentos. A música causando cores, sensações e lugares naquela alma que voa alto, que gosta de viajar e ficar pequenina como os aviões lá em cima. Ela gosta de imaginar situações em que as músicas seriam a trilha perfeita, e que os poemas seriam feitos pra ela por alguém, por ela para alguém. Com o olhar leve e distraído, aos poucos tudo fica azul como o céu lá fora, clarinho como as cortinas, em tons de rosa como as flores ali no cantinho. De olhos fechados tudo naquela alma vira música e poesia.

Bárbara Paloma

Leia também:

7 Comentários

  1. O que a música e a poesia causam foge de qualquer definição. Foge mesmo de qualquer tentativa disto. Há uma sinergia de forças poderosas que arrastam o coração e tornam todos os nossos sentidos participantes de um sonho, de um entressonho, de um desejo da alma. Chamo a este momento de ‘prelúdio de amor’, quando o coração deseja demasiado amar e ser amado, e tudo à volta tem musicalidade e poesia. Teu texto é pura musicalidade, pura poesia. Não sei se puro prelúdio. Tomara que sim. Alguém está à mão com sapatinhos de vidro que só cabem em teus pés. Belíssimo. Beijosssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Descreveste (lindamente) exatamente a atmosfera em que estava mergulhada, o "entressonho" que me inspirou. A música e a poesia nos transportam a um mundo que não se pode explicar, a uma imensidão que existe dentro de nós e que transborda e reveste tudo aquilo que vemos.
    Um grande abraço meu amigo!!

    P.s.: e sobre o "prelúdio do amor": Tomara que sim! e aproveitando a deixa, se por um acaso ele por aqui passar...
    "Se você me procurar eu apareço
    Se você me encontrar
    Te reconheço..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Pode parecer promessa
      mas eu sinto que você é a pessoa
      mais parecida comigo que eu conheço
      só que do lado do avesso..."
      Decerto, um dia ele aparece, não apenas aqui, mas em todos os cantos da tua vida, com flores nas mãos, para dar algumas em tuas mãos e colocar alguma em teus cabelos, e com um sapatinho de cristal para te colocar nos pés, e com um joelho pronto para se dobrar e com os lábios prontos para te dizer que te ama..." Deve ser isso. E isso será poesia. E, enquanto isso, tu és essa poesia que tu és. Abraçossssssssssssssss
      Ah, sim, deveras, eu me esqueci. A imagem do perfil é muito bela.

      Excluir
    2. Hás de imaginar o sorriso "bobo" que me causastes! Quem sabe ele não está mais perto do que podemos pensar! Espero que logo possa te contar novidades meu amigo, novidades de uma poesia que há de ser em mim.
      Obrigada pelo elogio! Feliz por saber que reparou na mudança!
      Abraços!!

      Excluir
    3. Ahá! Que dizes!? Então, algum mineiro dos Montes Claros é o abençoado! Menina! Vá-se contar o número dos que o invejam! Não serás poesia, Bárbara. Não podes tornar-te o que já és. Hás de ser um poema completo, pois todos somos poema por se completar. Que sejas muito feliz, é o que mais desejo. Abraçosssssssssssss

      Excluir
    4. Amigo querido! Ainda não o encontrei... Mas sabe aquele "quê" que diz que está pertinho?? E se ele for um mineiro daqui melhor ainda (risos). Deus sabe tudo o que faz, tenho certeza de que Ele está lapidando esse poema aqui, pra ser o mais belo quando se tornar completo! Um grande abraço!!

      Excluir
    5. Uai. Si for minêro nois aplaudi ele, fazê u quê?! Filiz di quem é o sortudo qui teim esssa cidadania, num é o num é?!
      Lapidar é um verbo perfeito! Vou me lembrar disto quando andar buscando um texto nas minhas nuvens de inspiração. Quanto ao ‘quê’, lá na minha Jundiaí querida, chamamo-lo ‘passarinho verde’. De quem está se apaixonando, dizemos: viu o passarinho verde! Abraçosssssssssssssss

      Excluir

Fique a vontade para comentar...
Críticas são bem vindas, e elogios sempre serão.
Abraços...