Cartas a Ele - II - Ao amor que ainda não chegou


E quanto ao mar, amor, seja o porto. Que eu serei barquinho.
E se fores céu, viro passarinho.
 Ou as estrelas talvez, toda a Via de uma vez.

Não vê amor, que até poesia tenho feito?
Que em versos me viro do avesso pra ver se te encontro aqui dentro! Por onde tens andando amor, o quão longe bate teu coração?

Anda, vem me ver.
Vem tomar o lugar desse frio que me envolve os braços... Vem ser poesia do meu lado. Ser o verso no meu avesso pra que possa me encontrar em ti, e sermos Nós.

Leia também:

1 Comentários

  1. Garota, foi forte, heim?! Poesia bonita à beça! Valeu, esmerilhou! Abraço

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar...
Críticas são bem vindas, e elogios sempre serão.
Abraços...