Ela.

13 julho 2015

Ei, senta aqui e deixa eu te contar uma coisa! Conheço essa moça, a Pauline, delicada que só, menina daquelas que devia ter nascido décadas atrás, de jeitinho antigo e romântico. Mas tem horas que ela esquece a doçura da vida, e ai a Ana fica que nem água de cachoeira, gelada... mas cachoeira é uma coisa bonita de se ver né! Tão forte que parece viva, parece que quer explodir e inundar a qualquer momento tudo ao seu redor, e como não consegue, manda aquela névoa gostosa no rosto da gente, acho que a névoa é a parte dela que é paz, coisa típica da Elisa. Essa moça é daquelas que sonha acordada, mesmo sabendo que o sonho é só fantasia. Tem horas que da dó da Isabel, tadinha, sonha com quem não sonha de volta. Mas não pense que a Helena é uma moça avoada, longe disso! Ela tem seus momentos sim, mas é bem racional na maior parte do tempo, racional até demais pro meu gosto, pensa tanto que quando vê o sentimento já passou do ponto, que nem quem enrola muito pra subir no pé de jabuticaba, e que quando vai só encontra uma ou outra com gosto velho. Falando em jabuticaba, lembrei dos olhos dela, a Cecília tem olhos tão pretos como a noite, e acho que tão infinitos também, ô menina pra enxergar beleza nas coisas! Não tem igual, em tudo vê poesia,  ela não fala muito sobre, mas dá pra ver, pelo jeito que ela olha, as estrelinhas brilhando lá no fundo. Outra coisa... A Bia gosta mesmo é de livros, ela fala que é um tipo de "desculpa" pra se desligar do mundo, e quando o livro é bom então, quase que dá pra ver a história se passando pelo rosto dela. E de rosto a Maria até que agrada, é que ela é muito sorridente, e gosta de ver os outros sorrirem de volta, é brincalhona também e acha que a vida tinha que ter música o tempo todo, deve ser por isso que ela é encantada com aquele rapaz lá, o do violão... Sei não, pensando bem, tem horas que ela soa como uma música meio triste, como um violino tocando lá longe, é ai que Lúcia fica com ar de frágil, como se precisasse de um abraço, ou de uma música bonita. Tá parecendo que a Gabriela é uma moça triste né, não se engane não, ela é feliz de verdade, isso é fato! Só uma pessoa que leva a felicidade no coração consegue ter aquele brilho que ela tem, só que nem todo mundo consegue fazer ela transbordar. Lembra da cachoeira? Então... ela também é lagoa! A menina é pura contradição, você já deve ter percebido, quando a gente tenta entender a Sofia é o mesmo que olhar pra uma lagoa escura e parada, a gente sabe que é profunda e que tem vida lá dentro, mas só consegue ver o reflexo do céu e nada mais. O céu é tão grande, e tem tanto infinito além dele, ela também é assim.  E como o céu, tem horas que ela chove, chuva gelada de outono, alegre como as verão ou cuidadosa como as da primavera, e até garoa de inverno. Bem, acho que essa conversa se estendeu demais, é que tem tanto pra falar dela que a gente poderia ficar aqui o dia inteiro e a noite também! Gostei de conversar com você, volta aqui depois pra gente tomar um café com pão de queijo que eu te conto mais de mim.

3 comentários:

  1. Fantástico texto. Então, tu, como toda moça criativa, completa e complexa em feminilidade, carregas vários nomes, variadas pessoas e variadas emoções em ti?! Perfeito! Desde a delicadeza de uma à indiferença de outra, hás de ser, no fundo de ti, um mistério que somente os mais afortunados e pacientes descobrirão!... Belíssimo! Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  2. Fantástico texto. Então, tu, como toda moça criativa, completa e complexa em feminilidade, carregas vários nomes, variadas pessoas e variadas emoções em ti?! Perfeito! Desde a delicadeza de uma à indiferença de outra, hás de ser, no fundo de ti, um mistério que somente os mais afortunados e pacientes descobrirão!... Belíssimo! Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  3. Sim! Um mistério, completa e complexa...
    Um grande abraço Lucas..é sempre maravilhoso te-lo aqui!

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar...
Críticas são bem vindas, e elogios sempre serão.
Abraços...

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS