Oh eu, oh vida

07 junho 2015


Oh eu, oh vida
Das perguntas sempre iguais
Dos intermináveis comboios de descrentes
Das cidades a abarrotar de idiotas
O que há de bom no meio disto?
Estás aqui
A vida existe e a identidade
A pujante peça continua
E podes contribuir com um verso...

Walt Whitman


Ao assistir Sociedade dos poetas mortos e ouvir na voz de Robin Williams "Qual seria o seu verso?" fiquei a pensar se tenho mesmo aproveitado a minha deixa na peça Vida, se tenho contribuido com meu verso, e qual verso...

2 comentários:

  1. Fizeste bem demais em escolher um poema de Whitman para falar da Vida, e da nossa participação nessa 'peça' esplendorosa, esse poema decantado pela voz de Deus. Qual é a nossa contribuição? Ah, nem te desgastes pensando em qual seria... - Mas vive, vive intensamente, vive para ti, vive para os outros, vive para o Bem, vive para a Justiça e a Misericórdia! Estejas certa, ainda que tu mesma não o leias, outros o leram em ti, e um grande poema surgirá! Tua presença no meu blogue é um poema. Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  2. Que lindo ler isso!! Quando escrevi o post fiquei a pensar nessa pergunta...e cheguei a resposta que descreveste, viver, pois vivendo a poesia naturalmente virá. És um poema aqui também!
    Terno abraço.

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar...
Críticas são bem vindas, e elogios sempre serão.
Abraços...

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS